Chapada dos Veadeiros

 

 

ALTO PARAÍSO E SÃO JORGE - GO

 

PAISAGENS - IMPRESSÕES SENSORIAIS

 

O cerrado, um céu para grandes voos. Horizonte 360º. Clareza e acuidade, visão de águia, terceiro olho.

 

Céu azul ciano e amarelo radiante da luz do Sol. Luz acesa. Energia desperta, lúcida e em movimento.

 

Pouco a pouco os tons mais quentes e tropicais se apresentam. Como nas araras, onde o azul é esverdeado e o amarelo é alaranjado, cor de sol poente. Fácil de vê-las e maravilhar-se em seus seus voos migratórios no alvorecer e ao final do dia.

 

Sentir constantemente sob os pés um solo de cristais, ou estrelas. Uma experiência única se conectar a essa rede de quartzos da região e andarilhar sobre suas pedrinhas reluzentes.

 

Campos rupestres, secos e delicados. Generosa biodiversidade. Seivas secretas em seus troncos retorcidos, tal qual o chapéu-de-couro. Campos de palipalan (ou chuveirinhos) e capim-estrela. Canela de ema, caliandras, lírios silvestres e tanto mais. Vasto o mundo, infinita a potência do cerrado.

 

Prismas rochosos, como os tais cristais, nas esculturas do alto dos morros e na trama de nossos planos mentais. Como cidades invisíveis.

 

E depois vem a Água. Bacia de águas. A água da vida e do paladar doce. Muda e molda a paisagem para a escala do aconchego, com seus poços-paisagismo, regatos com cristais, poços em clareiras que lembram catedrais ao ar livre, fontanas de trevi esculpidas por pedras naturais, piscinas de nascentes naturais e águas mornas, vales lunares escavados e também a água profusa dos Saltos.

 

E os nomes? Irresistíveis! Jardim de Maytrea, Vale da Lua, Sertão Zen, Cachoeira dos Anjos e Arcanjos, Cachoeira dos Cristais, Poço da Xamã (no feminino mesmo), dos Curumins.

 

E também toda uma maravilhosa abundância tropical, com muitas mangueiras, jaqueiras, abacateiros, barus, buritis e pequis. Ah, ovnis também! Nem tente escapar, o território da Chapada dos Veadeiros foi descoberto e adotado originalmente por um circuito hippie e esotérico como você vai ver.

 

COMO CHEGAR

 

- A cidade de Alto Paraíso de Goiás fica a 220km de Brasília, capital nacional, pela estrada GO- 118. Uma estrada asfaltada e fácil de ser percorrida. Se locomover em Alto Paraíso, São Jorge (entrada do Parque) e arredores da região para explorar suas atrações de paisagem é simples, as estradas em sua maioria são de terra mas em boas condições, salvo temporada de chuvas (verão). Para quem chega em Brasília e precisa de condução o mais fácil é consultar a pousada em que você pretende se hospedar que geralmente eles tem serviços de transfer ou podem indicar quem faça. Em Brasília você também pode alugar um carro e não precisa ser utilitário, lembrando que em Alto Paraíso não existem locadoras. Você consegue também acessar Alto Paraíso de ônibus, com 2 saídas diárias da Rodoviária Estadual de Brasília (empresa Real Expresso).

 

- Alto Paraíso foi reconhecida como Patrimônio da Unesco e costuma receber turistas do mundo inteiro. Tem uma rua principal, asfaltada e arborizada, onde você vai encontrar muito do que precisa por lá (restaurantes, agências, cafés, lojas, moto-táxi, etc). Você pode muito bem se hospedar em Alto Paraíso e fazer sua programação turística a partir de lá, contando que o Parque Nacional fica no distrito de São Jorge e as distâncias para os principais atrativos são longas.

 

- Para hospedagens e programação de roteiros turísticos tenha maiores informações acessando o site http://www.altoparaiso.go.gov.br/turismo.php ou entre em contato com o CAT  (Centro de Atendimento ao Turista ) de Alto Paraíso pelo tel.: (62) 3446 1159.

 

- Você pode escolher também se hospedar no distrito de São Jorge, que fica a 35 km de Alto Paraíso, um vilarejo que é a porta de entrada do magnífico Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Ali no povoado você encontra opções de hospedagens, (pousadas ou casas para alugar), restaurantes, pequenos bistrôs, lojas ou cafés. Porém lembre-se que como a maioria das pequenas cidades turísticas no Brasil, muitos dos estabelecimentos abrem somente aos finais de semana e durante as férias e feriados as procuras são intensas.

 

- Maiores informações, acesse o link http://www.portaldesaojorge.com.br/ ou entre em contato com o CAT (Centro de Atendimento ao Turista) de São Jorge pelo tel.: (62) 3455 1090.

 

DICAS PESSOAIS

 

- Chegando em Alto Paraíso não deixe de visitar a Cachoeira das Loquinhas (o nome vem de loca = gruta, toca). Um verdadeiro Santuário Ecológico somente a 2,5km da cidade. São 13 poços com águas cristalinas. São verdadeiros cenários ao ar livre. Uma aula de paisagismo com suas composições naturais entre pedras, água, vegetação e luz solar. A 8km de Alto Paraíso você vai encontrar também a Cachoeira dos Cristais, onde os banhos são deliciosos e a vista para o Sertão Zen e paredões rochosos valem a pena a visita.

 

- Para explorar melhor a região você também pode optar por contratar um guia e/ou combinar uma orientação com ele. Procure pelo Ivan, ou Anjo como é conhecido. Bom, pelo nome você já entendeu que pode confiar. Ele conhece muito da região e cultura local. Tel. de contato: (62) 8220 1611.

 

- Se você gosta de Yoga aproveite a oportunidade para praticar com Laurent Dauzou durante sua estadia. Laurent é um expert francês, em especial no método Iyengar, que hoje em dia mora em Alto Paraíso e dá aulas e promove eventos por lá. Seu espaço Lotus Bleu é um charme e o contato é loranrio@yahoo.fr

 

- Nessa linha também de natureza, retiros e alimentação saudável, vale a pena conhecer o Paraíso dos Pândavas, uma espécie de Ashram-Yoga Resort, localizado em uma reserva ambiental no coração do cerrado. Você será recebido por Giridhari Das (Gustavo Dauster) e pelo universo de Krishna. Culinária vegetariana primorosa. Confira o site:  http://www.pandavas.org.br/

 

- Na estrada para o Parque Nacional você já vai se maravilhar passando pelo Jardim de Maytrea, o Morro da Baleia e o acesso para visitar o Vale da Lua. Tudo de arrebatar! Reserve fôlego para as caminhadas dentro do Parque: chão polvilhado de quartzos, formações rochosas, vegetação típica do cerrado, canyons, cachoeiras e jacuzzis. Você escolhe qual o tipo de trilha que quer fazer, mais leve ou mais longa e sempre com guia do próprio parque ou outro credenciado (são as normas). Chegue cedo, leve água, lanchinho e alongue-se!

 

- Passando São Jorge você vai poder também visitar a Cachoeira do Abismo (chão e regatos com cristais), Raizama, Morada do Sol e também piscinas termais de nascentes naturais. Muitos outros atrativos também nos arredores das principais cidades.

 

- Na página Relatos de Viagens, dê uma conferida em Cavalcante e se possível inclua uma visita também, nessa ou numa próxima viagem. Você não vai se arrepender.

 

 

 

 

 

 

JardimdeMaytrea.JPG
9morrodabaleia-pali.JPG
salto.JPG
2parquetrilhaquartzos.JPG
solodecristais2.jpg
19solnascendo.JPG
20estradacerrado.JPG
céu&topopedras.JPG
17cachucristais.JPG
15ceuvistasertao.JPG
16cachuaguafria.JPG
cenariosantuario.JPG
13lokinhas.JPG
cenariosantuario4.JPG
DSCN2099.JPG
7moradadosol2.JPG
11campopalipalan.jpg
10palipalan.JPG
8jardimdemaytrea.jpg
DSCN2198.JPG
18ecoaldeia.JPG
valedalua1.jpg
valedalua2.jpg
21almecegas.JPG
23tucanos.JPG
22caninde.JPG
24gota.JPG
26paraisopandavas.JPG
discovoadoralto.jpg

© CACTUS - Relatos de Viagens e Expedições Sensoriais. Todos os direitos reservados. +55 (35) 99214279 | viagenscactus@gmail.com

Copyright Ana Cláudia Ventura 2014 - Para qualquer uso das imagens do site, favor entrar em contato.          design | Felipe Pletz